Por problemas técnicos na linha telefônica Principal (GVT) estamos atendendo pelo número:
(81) 3268-2947
Inicio » , , » Orçamento na Hora? Vamos por partes!

Orçamento na Hora? Vamos por partes!


"A Associação Nacional de Fabricantes de Autopeças destaca que a precificação deve ser composta por duas partes: mão de obra/serviço e peças
Além de contar com um mecânico de confiança o consumidor precisa ficar atento na hora de solicitar o orçamento para o reparo do automóvel. É imprescindível entender o valor de cada parte do serviço para ter a certeza de não estar "entrando numa fria".
A ANFAPE -  Associação Nacional de Fabricantes de Autopeças - destaca os passos importantes dessa tarefa:
"O orçamento deve ser composto por duas partes: mão de obra/serviço e peças. A variável, normalmente está nos preços das peças e não na parte do serviço, que a ferramenta do reparador", diz Roberto Monteiro diretor-executivo da Anfape. 
Ele explica que o consumidor deve pedir dois orçamento. O primeiro com a utilização de autopeças originais, encontradas na maioria das vezes com valores abusivos nas montadoras. O segundo com as similares que possuem qualidade certificada, oferecido pelo mercado independente com a devida identificação, ou seja, a própria marca e garantia. Encontrada na Espaço Car Auto Centro.

"Um bom orçamento apresenta divisões especificadas, bem como margem de diferença de valor entre peças e marcas, além da procedência desses itens", enfatiza.

"É importante se manter atento e receber a devida orientação do reparador, que dever ser o consultor sobre o melhor custo x benefício  em cada situação. A opinião do profissional de confiança traz a segurança para o consumidor", pontua Monteiro.

A ANFAPE surgiu com o intuito de representar e fortalecer o setor de reposição independente de autopeças no Brasil. Desde a sua constituição, em 2007, a entidade tem buscado reverter as ações de algumas grandes montadoras que se valem do expediente de registrar os componentes visuais de seus veículos (capôs, para-lamas, para-choques, faróis, retrovisores etc.) como desenhos industriais com o proposito de inibir a atuação dos independeres no segmento de reposição, que se dá por meio da proibição da produção e da comercialização das peças. 

No início de 2007, a ANFAPE formulou uma representação junto ao Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência - CADE - denunciando a conduta das montadoras Fiat, Ford, e Volkswagen. Tal iniciativa teve como objetivo assegurar as empresas do mercado independente de autopeças o direito de produzirem e comercializarem itens visuais dos veículos. A associação considera que as montadoras utilizam seus registros de desenhos industriais de peças automotivas de forma abusiva, o que configura conduta contrária à ordem econômica brasileira.

Texto adaptado.
Fonte: Auto Revista Pernambuco Ano 5 - Edição 28

Nosso orientação na Espaço Car é sempre oferecer o serviço completo que atenda a necessidade e particularidade de cada cliente. Nossa equipe de consultores: Bruno, Flávio, Rogério e Rosenildo, junto com a equipe de mecânicos: Edmílson, Lincoln, Rinaldo, Silas, Tiago e Walter, sempre está disposta a oferecer a melhor solução. No texto adaptado da Auto Revista Pernambuco que lemos acima, percebemos o cuidado de Roberto Monteiro diretor-executivo da Anfape, em apresentar duas possibilidades ao consumidor: pagar preços abusivos nas montadoras/concessionarias ou buscar um preço justo no mercado independente adquirindo peças similares. Sem falar no valor cobrado pelo serviço realizado nas montadoras/concessionarias que excede e muito o valor na rede independente. Fica a dica. 





0 comentários:

Postar um comentário

Receba Novidades no E-mail

Curta-nos no Facebook
Siga-nos no Twitter
Recomende-nos no Google Plus
Assinar me em RSS